Sexta-feira, 23 de Novembro de 2007

UGT acusa Governo de "impor" aumento salarial de 2,1%

Função Pública: UGT acusa Governo de "impor" aumento salarial de 2,1% , baseado em inflação "irrealista"

Lisboa, 22 Nov (Lusa) - O secretário-geral da UGT, João Proença, acusou hoje o Governo de "impor" um aumento salarial de 2,1 por cento aos funcionários públicos, baseado numa previsão de inflação "irrealista".

"Não houve negociação, houve uma imposição, pelo que os trabalhadores têm razões para estarem descontentes", afirmou João Proença, em conferência de imprensa para apresentar as conclusões do secretariado nacional da UGT.

"É claro que com um aumento salarial de 2,1 por cento os funcionários públicos vão voltar a perder poder de compra no próximo ano, ao contrário dos compromissos assumidos pelo próprio primeiro-ministro", sublinhou Proença.

O dirigente sindical sustentou que a inflação prevista pelo Governo de 2,1 por cento para 2008 é "irrealista". (Notícia completa)
Fonte LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.

publicado por greve301107 às 09:49
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim

pesquisar

 

Dezembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Sondagem

Mini Chat


Visitas

Horas


http://codes.mashable.com/

arquivos

Dezembro 2007

Novembro 2007

blogs SAPO

subscrever feeds